Profissionais da saúde dizem que é muito comum no isolamento um pouquinho de solidão, angústia. De vez em quando bate uma ansiedade também e aqueles que tem quadros depressivo podem ficar um pouco deprimidos.

Pensando no sedentarismo e também na melhora dessas questões mentais, as profissionais de educação física do Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF) se uniram para gravar vídeos em casa para auxiliar gratuitamente as pessoas que estão em casa no isolamento.

Dá pra fazer os exercícios na sala de casa mesmo, ou naquele espaço ocioso como a lavanderia ou até uma pequena. Os exercícios podem ser feitos com o uso de objetos da casa como uma vassoura, um pequeno tapete e uma cadeira e dá para trabalhar os membros superiores, inferiores e todo o corpo de forma bem simples.

Os exercícios vão de leve e moderado, a intenso e difícil. Qualquer idade pode fazer, desde que respeite os limites do seu corpo e condicionamento físico. As cargas dos dos exercícios é o peso do próprio corpo, e a duração pode ser de séries de 3 repetições de 15, com descanso de 30 à 40 segundos entre as repetições.

A professora de educação física, Pricila Valente, que compõe a equipe do NASF e presta serviço para a população do quarto distrito, disse “essa iniciativa surgiu pra gente jogar a população que está em isolamento social sair do sedentarismo, mas ao mesmo tempo aumentar essa inclusão da atividade física dentro de casa e diminuir a ansiedade e processos depressivos que as pessoas possam ter com esse isolamento. É importante também começar ao poucos e sempre tirar dúvidas com profissionais capacitados”explicou.

Já Camilli Fernanda que também é professora de educação física e compõe a equipe do NASF no primeiro disse distrito ressalta que “os exercícios podem ser feitos por qualquer pessoa. Cada um tem que respeitar seus limites e ritmos. Se ela tem problemas cardíacos ou hipertensão por exemplo, deve começar de uma forma menos intensa. Os exercícios que estamos gravando vão ajudar na qualidade de vida e que estão relacionados com a vida diária. Se pessoa nunca praticou atividade física deve começar com menor intensidade, mas se ela já treinava antes do isolamento social pode colocar intensidade. Os idosos devem começar com baixa intensidade e  a rotina é de acordo com cada um. O cansaço é um sinal de parar e quem sabe iniciar em um outro dia” explicou.

Se você também não quer ficar parado, é só acompanhar os vídeos nas redes sociais oficiais da Secretaria de Saúde do município, no Facebook e Instagram.

A única regra é ficar em casa! Bom treino!